• Fernando Schell Pereira

Animais não são produtos


Essa loja insiste em catalogar vidas como bibelôs e produtos!

Ainda mais na semana da criança, quando a compra por impulso e a criançada na barra da saia da mãe gritando "eu quero, eu quero, juro que vou cuidar" toma conta da cabeça dos pais. E eles, para se livrarem da sua incapacidade de dizer "nãos", tiram o cartão do bolso e mandam embrulhar.

Mas ao chegar em casa descobrem que o "brinquedo" precisa fazer xixi e cocô, e, pior, precisam levá-lo para passear! Logo os filhotes passam a ser vistos como um estorvo e são abandonados, ou, na melhor das hipóteses, entregues para o primeiro que se apresentar.

Ah, sim, já iamos nos esquecendo, a loja tem o álibi do tal "projeto de adoção". Ora, só existem animais pelas ruas porque os humanos insistem em crer que eles são objetos, que aqueles de raça são mais importantes, e os sem raça definida podem se virar por aí, contanto que ninguém os maltrate. Se a loja realmente está preocupada com os animais abandonados, por que continua fomentando o mercado e ganhando dinheiro justamente sobre a criação e venda de animais de raça?

Vender animais não é crime em nosso país, infelizmente. Mas a consciência da realidade já é outra em diversos lugares:

- Venda de filhotes é proibida em pelo menos 35 cidades dos EUA. leia a matéria aqui: http://www.anda.jor.br/…/venda-de-filhotes-e-proibida-em-pe…

- A realidade por trás da indústria de filhotes: http://www.anda.jor.br/…/a-terrivel-realidade-por-tras-da-i…

- Toronto e Richmond no Canadá não vendem animais: http://www.anda.jor.br/…/toronto-bane-a-venda-de-caes-e-gat…

- Vídeo da Fundação de Cesar Millan: http://www.youtube.com/watch?v=qjy5FlCVQRY

- Campanha "À espera de um Amigo - um olhar sobre o abandono animal": http://www.youtube.com/watch?v=1aA91QgC2Hw

E onde está a preocupação com as mães dos filhotes? As chamadas "matrizes", que em determinado momento não serão mais úteis para gerar/fabricar mais filhotes? Aí seu destino é sempre o abandono e a morte.

Todos concordam em afirmar que é através da Educação que mudamos as pessoas, o mundo. Então será que somos coerentes em ensinar nossas crianças que animais não humanos são produtos? Já que ao comprar algo estamos comprando um objeto, e ao comprar um filhote estamos comprando uma vida capaz de sentir, física e emocionalmente, a mensagem que se está passando às crianças é moralmente criminosa.

ABAIXO AO COMÉRCIO DE VIDAS! BOICOTE TOTAL A ESSES ESTABELECIMENTOS!

-- ANIMAIS NÃO SÃO PRODUTOS --

------------------------------------------------------------------------- ONG PRINCÍPIO ANIMAL

1 visualização

​© Princípio Animal 2020 - Porto Alegre/RS - Brasil